Marisa Costa

Saber sonhar é saber viver!

Textos




Sensualmente vivo... 

Lá fora a vida explodia.   A “rua” andava ativa.
O “interior” rebentava de atos e efeitos, mas num encontro com a solidão preferiu fechar os olhos pro coletivo.
Porém, o tempo urgia renovação interna. O Universo pressionava. 
Muitas insônias febris, depois, o "ser" solitário saiu de dentro de sí para virar criatura  humana na barafunda da convivência. 
 
Padeceu de avanços e recuos. Angústias e medos e frustrações  Só ao retirar do fundo do armário, esqueletos; debaixo da cama, monstros; das caixas, sonhos, tocou o mundo. 
A ele se misturou.
 
Em tudo extensão, em tudo profundidade, escutando o bonito empurrou luas e sóis.   
Finalmente, deixou a natureza levar suas emoções para o destino final:
Conversar com o espírito da metrópole.
Sentir a linguagem das ruas.
O movimento sensual das populações apressadas. 
A música da urbanidade.
A universalidade de um sorriso.
 
 
 
(*) Imagem: Google

            **********************************************************

Tão bonito ... Publico:
 
De Walter Arruda:
"Estamos vivos...
Longe, inteiros e, sorrindo...
Diz-me à tua palavra...
Em meio à multidão que não nos vê!...
O povo que delira o gol...
Quase não ouvimos nosso pulsar soar...
As preces solicitam silêncio...
Querem que o Pai as ouça...
E, os nossos corações..
.Não se importam...
Conversam os dois juntos...
Sem ruídos, sem taxa e fiscalização"...

****************************
Transcrito por James Assaf:

 "No novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer
No novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta
Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver
Pra que nossa esperança seja mais que a vingança
Seja sempre um caminho que se deixa de herança/No novo tempo, apesar dos castigos/De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga
Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer..."

De ERIVAS:

"Sair de dentro de si,
esvaziar-se,
abrir as comportas das emoções,
às porteiras do sentimentos
e deixar-se conduzir pelo vento lá fora"..
.
Marisa Costa
Enviado por Marisa Costa em 27/10/2017
Alterado em 09/11/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras