Marisa Costa

Saber sonhar é saber viver!

Meu Diário
31/10/2015 16h31
Ele a olhou...


"Ele a olhou. 
Ela, louca de amor por ele, não o reconheceu. 
Ele havia deixado de ser ele: transformara-se no símbolo sem face nem corpo da paixão e da loucura dela. Não era mais ele: ela amava alguém que não existia mais, objetivamente. 
Existia apenas dentro dela" 

Caio Fernando Abreu 

 


Publicado por Marisa Costa em 31/10/2015 às 16h31
 
31/10/2015 16h23
Sua Inocência...

'' E desde aquele dia a menina se calou. 
Suas risadas ficaram contidas. 
Seus olhos sem brilho. 
Seu corpo intocável. 
Seu coração fora trancado pra sempre. 
Não haviam mais bonecas espalhadas pela casa. 
E da janela ela esperava ser salva. 
Mais ninguém vinha. 
Ela queria gritar : Me salve !!! 
Mais a voz não saia. 
Ela estava sozinha. 
E sozinha levou a vida. 
Ninguém sabe o que aquela menina carrega dentro do peito. 
Ninguém sabe as dores que aquela menina tem ( teve ) em seu corpo. 
Aquela menina nunca cresceu. 
Ela ainda espera alguém que a salve. 
Alguém que a faça mulher. 
Que a entenda. 
Ninguém sabe, mais aquela menina foi roubada. 
Lhe roubaram sua maior riqueza : Sua Inocência. '' 

 Meus Dramas Mexicanos. 


Publicado por Marisa Costa em 31/10/2015 às 16h23
 
10/10/2015 16h43
José Saramago

"A vida requer cuidado. 
Os amores também. 
Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. 
Não queira uma só, elas não sabem viver sozinhas... 
Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá de saber que com elas vão inúmeros espinhos. 
Não se preocupe a beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos... "

 

José Saramago


Publicado por Marisa Costa em 10/10/2015 às 16h43
 
10/10/2015 15h32
Bonito Mundo...

"O mundo é mais bonito quando compartilhado com alguém, a dor é menor quando alguém te faz sorrir, as coisas são mais fáceis quando se tem amor. 
Somos mais fortes quando nos sentimos especiais, amados por alguém. 
Vamos mais longe quando alguém segura nossa mão e acredita em nós." 

Lígia Fagundes. 


Publicado por Marisa Costa em 10/10/2015 às 15h32
 
14/09/2015 12h44
Até Amanhã

"Sei agora como nasceu a alegria,
como nasce o vento entre barcos de papel,
como nasce a água ou o amor
quando a juventude não é uma lágrima.

É primeiro só um rumor de espuma
à roda do corpo que desperta,
sílaba espessa, beijo acumulado,
amanhecer de pássaros no sangue.

É subitamente um grito,
um grito apertado nos dentes,
galope de cavalos num horizonte
onde o mar é diurno e sem palavras.

Falei de tudo quanto amei.
De coisas que te dou
para que tu as ames comigo:
a juventude, o vento e as areias".


Eugénio de Andrade, in "Até Amanhã"


Publicado por Marisa Costa em 14/09/2015 às 12h44



Página 11 de 24 « 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras